CRONO E FOTO-ENVELHECIMENTO

O envelhecimento da pele e o aparecimento de rugas: não é apenas uma questão de tempo.

Quantas vezes  já ouvimos falar  de que a idade não perdoa.
E quantas vezes, esta notícia, nos consciencializa da fatídica visão de que os anos Fotor01022103428passam e com eles vão a nossa frescura.  Esta realidade pode não ser assim  tão óbvia.

É verdade, que as rugas são intrinsecamente ligadas ao tempo. Mas a experiência  ensina-nos que nem todos temos a  mesma aparência. E a razão é simples: os sulcos da pele permanentemente lineares, não são da responsabilidade exclusiva de nós próprios. Eles estão dependentes de outro contexto, fatores como os músculos e movimentos articulares, a força da gravidade, a nossa postura, pré-disposição genética e estilo de vida.
Alguns, ou seja os fatores intrínsecos ou dados históricos, conduzem ao chamado crono-envelhecimento. Outros , fatores extrínsecos ou ambientais, simplesmente agravam a situação. Entre estes últimos, a luz desempenha  um papel fundamental, resultando no fatídico foto-envelhecimento.

Os resultados são muito diferentes e devem ser tratados com estratégias específicas, operações específicas e diversificadas.

A consciência das muitas diferenças , ao mesmo tempo constituiu um desafio para identificar um número de respostas subjetivas e impecáveis.

O caminho para a pele jovem é cheio de bifurcações, ruas de sentido único e rodovias. Cada escolha tem que ser cuidadosamente calibrada, conhecer em profundidade as características da pele que queremos tratar. Nada pode ser deixado ao acaso.

CHRONO-ENVELHECIMENTO:  Saber como combater.

O crono-envelhecimento, é devido a fatores genéticos e processos metabólicos, além de se referirem a mudanças hormonais, que ocorrem com o passar  do tempo.
Durante os processos metabólicos normais, (tais como o respirar e o metabolismo celular) é  de facto uma constante produção de radicais livres altamente instáveis. Eles reagem com as moléculas vizinhas por meio de oxidação, transformando-as, por sua vez, em radicais livres. O resultado é a proliferação das reações de amplificação, conduzindo ao envelhecimento. O corpo pode defender-se , é verdade, graças aos anti-radicais livres, e as vitaminas, mas quando esses sistemas são ultrapassados – o que acontece com frequência – o envelhecimento é inevitável dos principais componentes da derme, ou seja o colagénio, elastina e ácido hialurónico, tendem a quebrar  e a pele perde toda a capacidade, o seu brilho e a sua beleza.

Mas o tempo é o traidor doutra frente: a repetição constante de algumas expressões típicas da face, (surpresa, raiva, tristeza, alegria) levam inevitavelmente a  inscrever-se na pele, enquanto a escolha de uma noite de posturas involuntárias, como o roçar constante no travesseiro, que provoca ondulações ao longo dos anos se torna permanente.

Se considerarmos que a força da gravidade faz a sua parte, como o aumento da profundidade das rugas, temos assegurado o efeito do envelhecimento.

O FOTO-ENVELHECIMENTO: O poder da luz.

Apesar do envelhecimento devido  à passagem do tempo,  se apelidar de crono-envelhecimento, o envelhecimento associado à luz é chamado foto-envelhecimento.

Enquanto o primeiro é infelizmente inevitável e altamente dependente do nosso modo de vida, para que possa ser contido, o segundo pode ter um efeito profundo sobre a juventude da pele. A exposição contínua ao Sol (raios UV ou lâmpadas de bronzeamento), penetram na epiderme e produzem um envelhecimento específico, rugas, manchas e dilatação nas paredes dos vasos sanguíneos. Estes danos ao ADN celular, poderão agravar-se com o tempo e alguns fatores também têm as suas consequências:
O fototipo  (pele clara sofre mais com a intensidade da luz)
O tempo de exposição ao sol (estritamente dependente do estilo de vida)
A latitude (na Europa o UV é muito intenso, de Abril a Julho, com picos entre Maio e Junho

A Exposição, sem medidas de proteção

Para compreender até que ponto a influência da luz danifica a juventude da pele e ao mesmo tempo determina o nível de foto-envelhecimento, é possível  a criação de um teste simples, comparando a pele do rosto com uma parte da pele não exposta (por exemplo , coxa ou nádega)
Qualquer diferença em termos de rugosidade, manchas da idade  e flacidez são devidos à ação da luz UV.

Em consequência  do apresentado, conclui-se que na idade biológica, pode corresponder diferentes níveis de envelhecimento, por isso é incomum que aos 40 anos se tenha um rosto marcado por rugas, pois é nesta idade que normalmente começa o foto-envelhecimento.

Deixar uma resposta